Compartilhar

Em fim de trabalho de divulgação do disco Onde a Gente Morre (2014, independente), a banda paulista Atalhos vem trabalhando demos do registro como forma de reafirmar o conteúdo do álbum. Uma dessas raridades é a canção “Sozinho Contra Todos”, versão que ganha luz pela primeira vez hoje.

A música é uma odisseia de um corpo estranho em meio a multidão, lutando para estar vivo e presente em meio a uma sociedade opressora ao seu olhar. Muito dessa perturbação fica clara dentro da confusão que o instrumental se propõe, numa espécie de briga contra o narrador e sua história. “A letra de “Sozinho Contra Todos” surgiu de uma inspiração do livro Às Avessas, do francês Joris-Karl Huysmans, e fala sobre a incapacidade de um indivíduo de se socializar com as pessoas. Fala sobre uma angustia existencial de se ver diante de uma antipatia com os outros, consigo mesmo, aliás, uma antipatia com o mundo”, explica Gabriel Soares, compositor da faixa.

Em sua versão demo, “Sozinho…” explora ainda mais a disritmia instrumental e dá as primeiras amostras dos experimentos que iriam aparecer em Onde a Gente Morre – um disco corajoso que explora o lado artístico contra o padronizado mercadologicamente. O próprio fato da canção, e todo o seu barulho e confusão, ser a faixa de abertura do trabalho prova isso. “Sozinho Contra Todos”, a original, ganhou um clipe recentemente, com direção de José Menezes, Daniel Barosa e Andre Dip, e protagonizado pela atriz Marina Arenzon.

Atalhos – Sozinho Contra Todos (Demo)

Agora, focados em encerrar essa parte do trabalho, a Atalhos pode olhar com mais segurança sobre o disco e refletir sobre seus resultados: “Quando lançamos o “Onde a Gente Morre” não tínhamos muita esperança de aparecer nesses sites e blogs. Nós nos concentramos em fazer um disco pra nós mesmos, que tivesse a nossa cara e que a gente não se arrependesse depois. Em 2015 lançamos o vinil duplo e aí fizemos com que ele chegasse nas mãos de alguns jornalistas, e dessa vez tivemos uma surpresa porque nós começamos a existir nos principais blogs e sites de música independente do país”, argumenta, Gabriel.

Mais curto, com oito faixas e cerca de quarenta minutos, o novo álbum da banda está em fase de produção e ainda não tem data de lançamento. Os questionamentos pessoais interiores deverão se manter como tema principal das faixas, porém buscando olhar de um prisma diferenciado: “Nesse novo trabalho temos uma canção-título onde tentamos transcender nosso ponto de vista pra outras espécies e nossa relação, também como animais que somos, com elas”, comenta Gabriel antes de arrematar as expectativas da Atalhos para o próximo registro: “Será um disco de certa forma breve, se comparado ao anterior, mas esperamos que seja bastante intenso. Se ao final da última faixa tivermos a vontade de dar o repeat no disco inteiro, nosso objetivo terá sido cumprido”.

Compartilhar
Matéria anteriorNovos singles da The Outs e Guaiamum
Próxima MatériaClipe: Biltre, Indústria Orgânica, Viva La Burla e Mordomo
Músico multi-instrumentista, DJ, viajante, criador e editor-chefe do site RockinPress, colunista e curador convidado do Showlivre, ex-colunista do portal de vendas online Submarino e faz/fez matérias especiais para vários grandes meios culturais brasileiros, incluindo NME, SWU, Noize, Scream & Yell, youPIX e os maiores blogs musicais do país. É especializado em profissionalização de artistas independentes e divulgação de material através da agência Cultiva, sendo inclusive debatedor em mesas técnicas sobre o assunto na Universidade Federal Fluminense (RJ) e no Festival Transborda (MG).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here